logo
X
PUBLIEDITORIAL

2021 será o primeiro grande bom ano da construção civil, projeta Beto Studart

Por Redação
2021 será o primeiro grande bom ano da construção civil, projeta Beto Studart
O presidente da BSPar, Beto Studart, tem projeções otimista para a construção civil em 2021. (Foto: Marília Camelo)

Na contramão do cenário de crise desencadeado pela pandemia, os setores imobiliário e da construção civil experimentam alta nas vendas e na procura por novos imóveis, segundo avalia o presidente da BSPar, Beto Studart. O movimento, de acordo com Beto reflete a confiança do consumidor na política de juros baixos adotada pelo governo federal, e a atenção maior ao bem-estar da família, e abre ainda espaço para a recuperação do mau momento pelo qual a construção civil passa desde 2014. “Acredito que daqui pra frente vamos só impulsionar. 2020 está sendo o start, e 2021 será o primeiro grande bom ano da construção civil”, projeta Beto Studart.

LEIA MAIS >> Beto Studart recebe empresários e conduz visita a empreendimentos da BSPar

Na Fiec, ministro Rogério Marinho anuncia medidas para o desenvolvimento do Norte e Nordeste

Na avaliação do presidente da BSPar, os consumidores começaram a confiar na política de juros baixos do governo e concluíram que o investimento na casa própria é, sim, um bom negócio, seja para proporcionar mais bem-estar à família, para “o filho que acabou de sair da universidade, casou recentemente”; otimizar o local de trabalho; ou, ainda, incrementar a renda com aluguéis.

“Mudou efetivamente essa relação, e estamos percebendo um forte incremento nas vendas. Estamos confiantes de que essas políticas continuem daqui pra frente”, diz Beto, revelando que as vendas da BSPar dobraram desde agosto.

Lenta transformação

Mesmo reconhecendo a influência do cenário de pandemia e isolamento social no aumento das vendas, Beto Studart não aposta em uma mudança de comportamento já visível e desencadeada pela crise sanitária. “Nossos antigos hábitos ainda não se modificarão por conta de seis meses de um novo momento. Vai ter mudança, acredito que sim, mas só vamos perceber nos próximos dois anos. No momento tratamos da retórica, da troca de ideias”, avalia.

Na avaliação do presidente da BSPar, os consumidores começaram a confiar na política de juros baixos do governo e concluíram que o investimento na casa própria é, sim, um bom negócio. (Foto: Marília Camelo)

Essa transformação mais compassada é percebida também nos planos que o empresário descreve para a BSPar, que está focada, agora, em vender as unidades de moradia já prontas para entrega e adaptar, nos lançamentos já programados, as novas exigências de quem busca um imóvel. “Vamos lançar o BS Flower agora em novembro e já estamos fazendo áreas mais ventiladas. Mas não estamos agendando a compra de novos terrenos para mais empreendimentos ainda”, adianta.

Essa postura, pondera Beto, não significa que a BSPar esteja distante da nova realidade do mercado imobiliário, em que as casas mais próximas da natureza e com maior conforto passaram a ser mais buscadas. “Regiões como o Eusébio, com edifícios mais baixos, nós já estamos lá”.

BS Design

Em amplo movimento de ocupação das salas, o BS Design reforça as expectativas positivas de Beto Studart para o cenário pós-isolamento social rígido. De acordo com o presidente da BSPar, hoje o empreendimento tem aproximadamente 100 obras internas de andamento, de reforma ou adaptação das salas para ocupação.

LEIA AINDA >> Beto Studart abre as portas de seu escritório no BS Design; veja fotos

Abelardo Rocha deixa presidência do Grupo Edson Queiroz; veja quem assume

“Para mim, está sendo surpreendentemente positivo. O BS Design se transformou no grande ponto de convergência do mercado. Todo mundo, hoje, deseja ter seu escritório ou sala no BS Design, faz bem ter um escritório aqui, faz bem olhar os espaços aqui. É o edifício mais bem instalado no que diz respeito à infraestrutura e o que há de mais moderno”, orgulha-se o empresário.

Veja também