Márcia Travessoni – Eventos, Lifestyle, Moda, Viagens e mais

Entre em contato conosco!

Anuncie no site

Comercial:

[email protected]
Telefone: +55 (85) 3242 0333

Bevas WM: conheça a empresa que inovou ao trazer gestão de patrimônio familiar para o Ceará

18 maio 2022 | Poder

Por Redação

Gerida pelos sócios Paulo Bessa e Pedro Vasconcelos, a Bevas WM é uma multi family office cearense especializada na administração de grandes fortunas

Os fundadores da Bevas WM, Paulo Bessa e Pedro Vasconcelos. (Foto: Eri Nunes)

Por Vanessa Madeira*

Gerenciar o próprio patrimônio, seja ele de qualquer porte, é uma tarefa complexa por natureza. O que fazer para que o dinheiro acumulado ao longo de anos de trabalho se mantenha e garanta segurança financeira no futuro? A responsabilidade se multiplica quando a família faz parte dos negócios. Além da necessidade de dividir lucros, é preciso lidar com as demandas de cada envolvido e, ainda, pensar na preservação dos recursos para as próximas gerações.

LEIA MAIS >> Mundo Pet abre 15ª loja e soma R$ 45 milhões investidos em cinco anos

Cearense de 12 anos é promessa no tênis nacional

Poucas empresas familiares possuem conhecimento e tempo suficientes para fazer a gestão otimizada do patrimônio adquirido. Essa brecha abriu caminho para o surgimento de soluções como a criada pela Bevas Wealth Management (Bevas WM), um multi family office cearense especializada na administração de grandes fortunas. “Trabalhei muito tempo como Private Banker e percebi que a gestão do patrimônio não era o foco das famílias, sempre muito preocupadas com o negócio principal, assim, não havia especialização e nem tratamento adequado ao patrimônio líquido”, explica o economista Paulo Bessa, um dos fundadores da Bevas em parceria com o sócio, o contador Pedro Vasconcelos.

“Queríamos suprir esse pilar na vida das pessoas que acumularam muito patrimônio na vida, montaram
um negócio de sucesso, mas que não tinham tempo nem expertise para cuidar desse recurso, até porque precisavam tocar a empresa geradora de renda”, completa.

(Foto: Eri Nunes)

O economista não revela as cifras administradas pela organização para manter a confidencialidade dos
clientes. No entanto, entre as 15 famílias assessoradas atualmente pela Bevas WM, estão empreendedores de setores como hotelaria, construção civil, logística, infraestrutura e comércio,
cujos patrimônios líquidos chegam à casa dos nove dígitos.

Serviço personalizado

Em geral, as famílias buscam o serviço com o mesmo propósito: profissionalizar a gestão da liquidez e
gerar tanto retorno quanto o negócio principal. Mas, apesar dos objetivos em comum, a empresa cearense prioriza a personalização do atendimento.

O trabalho tem início com a definição do perfil dos clientes, incluindo informações como o tamanho do patrimônio, total de rendas e despesas, como os recursos são distribuídos e onde estão alocados. Outro ponto crucial é entender a estrutura familiar por trás dos negócios. “Como estamos muito próximos dos clientes, conseguimos ter uma boa percepção das suas necessidades”, destaca Paulo.

A partir desse mapeamento, a Bevas avalia as melhores oportunidades no mercado financeiro. Por não serem vinculados a outras instituições financeiras, como bancos e corretoras, os sócios têm autonomia para indicar aplicações que mais se adequam a cada família. Grande parte opta pela internacionalização dos recursos, ou seja, a aplicação do dinheiro no exterior. “Essa demanda acontece por diversificação geográfica, porque querem ter uma poupança em dólares ou uma residência fora do Brasil. Nesses
casos, nós fazemos toda a estruturação para a aquisição desse imóvel”, detalha o economista.

Região estratégica

A Bevas WM nasceu no Ceará, mas já está presente em outros quatro estados brasileiros: Maranhão,
Paraíba, Pernambuco e São Paulo – este último já concentra mais de 25% da base da empresa. A expansão para o Sudeste foi um movimento natural, explica Paulo Bessa, uma vez que o marketing do familly office acontece muito por indicações de famílias assessoradas a outros potenciais clientes.

(Foto: Eri Nunes)

O economista destaca que o plano da empresa é evoluir, independentemente da região. O Ceará e o restante do Nordeste, contudo, são localizações estratégicas para o negócio. “É uma região muito
carente de atendimento como o nosso e onde existem muitas empresas familiares e pessoas em potencial para ter esse serviço de ajudar na passagem de bastão e na separação do patrimônio
da família e da empresa”.

Além da lacuna no mercado, a empresa vê no Estado terreno fértil para implantar a cultura do family
office. “Procuramos nos posicionar mais aqui pra fazer um aculturamento, porque muitas vezes o investidor não tem conhecimento que existe o serviço prestado aqui. Sabemos que o potencial de crescimento no Nordeste é forte. O Sudeste já é uma praça que tem alguma concorrência, mas estamos conseguindo penetrar bem na região”.

*Este conteúdo foi originalmente publicado na Revista Márcia Travessoni #19

Publicidade

VEJA TAMBÉM

Publicidade

PUBLICIDADE