logo

Fiec vai atuar na criação do Observatório Nacional da Indústria, em Brasília

Por Redação
Fiec vai atuar na criação do Observatório Nacional da Indústria, em Brasília
Segundo o presidente da Fiec, Ricardo Cavalcante, o projeto deverá funcionar já em 2021. (Foto: Marília Camelo)

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante, é um dos articuladores do projeto de implementação do Observatório Nacional da Indústria, em Brasília. A grande base de dados sobre a indústria, semelhante ao Observatório mantido pela Fiec em Fortaleza, deverá funcionar a partir de 2021. “Será um local espetacular, um grande banco de dados com informações dos setores para os empresários transformarem em BI [Business Intelligence]”, explica Ricardo.

LEIA MAIS >> Ricardo Cavalcante inaugura nova sede do CIN e faz balanço do primeiro ano de gestão

Empresário associado à Fiec assume cargo no Ministério da Agricultura

Segundo o presidente da Fiec, o nome dele e o do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar, foram apresentados nas reuniões da Confederação Nacional da Indústria (CNI) para conduzir a instalação do Observatório em Brasília. “Nesta sexta-feira o nosso pessoal já estará em Brasília, estamos organizado as reuniões para essa preparação”, adiantou Ricardo.

Idealizado pelo ex-presidente da Fiec, Beto Studart, o Observatório da Indústria cearense surgiu no intuito de reuniu informações que guiassem os empresários e industriais na tomada de decisões. “Existem Observatórios no Paraná e em Santa Catarina, mas acredito que não são como o nosso. Ele é todo tocado por inteligência artificial, não trabalhamos com nenhuma planilha”, detalha Cavalcante.

Recentemente, um acordo entre a Fiec e o Ministério da Economia definiu a atuação do Observatório da Indústria na coleta de dados para embasar a redução do Custo Brasil. Além disso, a diretoria da Federação tem recebido empresários e sindicatos para apresentar todas as potencialidades do big data. “Em novembro estaremos com a diretoria do Hapvida e também está marcada a visita do Grupo 3Corações”, acrescenta o presidente da Fiec.

Veja também