logo

Ricardo Cavalcante inaugura nova sede do CIN e faz balanço do primeiro ano de gestão

Por Redação
Ricardo Cavalcante inaugura nova sede do CIN e faz balanço do primeiro ano de gestão
O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante fez uma retrospectiva dos principais feitos durante a atual gestão que completa o primeiro ano. (Foto: Alex Campêlo)

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante, inaugurou, na noite da última quinta-feira (24), a nova sede do Centro Internacional de Negócios (CIN). Na ocasião, também foi realizada a primeira reunião presencial da diretoria da Fiec, onde Ricardo Cavalcante fez uma retrospectiva dos principais feitos durante a atual gestão que completa o primeiro ano.

LEIA MAIS >> Ricardo Cavalcante apresenta hub de empreendedorismo e lança Guia Ágil

Ricardo Cavalcante defende união entre universidade e indústria em inauguração de centro de inovação da UFC  

Na ocasião, também estiveram presentes o ex-presidente da Fiec, Roberto Macêdo; o presidente do Conselho de Administração do Grupo Edson Queiroz, Igor Queiroz Barroso; a gerente do CIN, Karina Frota; o reitor da Universidade Federal do Ceará, Cândido Albuquerque; os empresários, Carlos Prado e Eduardo Bezerra, homenageados da noite; e demais membros da diretoria da Fiec.

Homenagens

Com uma estrutura moderna, ágil e inovadora, o novo CIN, está localizado no térreo da Casa da Indústria, e contará com tecnologias que irão tornar mais fácil e ágil o processo de exportação e importação para as empresas cearenses. Além de dar suporte aos negócios do Estado, por meio de uma base de dados internacional, a unidade contará com apoio e contato direto com agentes da rede de comércio internacional. E para garantir informações rápidas e estratégicas para os empresários o CIN terá integração com o Observatório da Indústria da Fiec.

Carlos Prado, Ricardo Cavalcante e Eduardo Bezerra, (Foto: Alex Campêlo)

O prédio do CIN recebeu o nome do empresário Carlos Prado, 1º vice-presidente da Fiec, que participou da criação da área há 25 anos. Eduardo Bezerra, outra personalidade de grande importância para a história do Centro, também foi homenageado. A ‘Sala das Nações’ leva o nome dele. 

“Esta é uma homenagem mais do que merecida, pois essas duas pessoas, Carlos e Eduardo, foram fundamentais para a internacionalização dos negócios cearenses, tendo colocado as suas mentes visionárias a serviço do crescimento do nosso Estado”, disse Ricardo Cavalcante. 

O novo CIN está localizado no térreo da Casa da Indústria. (Foto: Alex Campêlo)

LEIA TAMBÉM >> Fiec assina acordo com o Ministro da Economia para reduzir Custo Brasil 

Ricardo Cavalcante e Romildo Rolim falam sobre ajuda do BNB aos empresários do Nordeste

Um ano de mandato 

Após a inauguração do CIN, Ricardo Cavalcante conduziu a primeira reunião de diretoria plena presencial da Fiec, que marcou um ano de gestão do atual presidente. Na ocasião, ele fez uma retrospectiva dos principais feitos até agora e comemorou o primeiro ano de mandato.

Rosangela e Ricardo Cavalcante. (Foto: Alex Campêlo)

“Nunca imaginei viver o que vivemos até aqui, um ano de desafios muito difíceis, mas também de muitos aprendizados. Fico orgulhoso por não termos demitido nenhum funcionário, apesar da pandemia”, comemorou Ricardo Cavalcante. 

Durante a reunião, em vídeo gravado, o ex-presidente da Fiec e atual presidente da BSPar Incorporações, Beto Studart, prestou uma homenagem ao atual presidente da Fiec destacando o trabalho realizado neste primeiro ano de mandato. “A gestão de Ricardo Cavalcante é a consolidação dos princípios que buscamos implantar durante os cinco anos que a presidi a Fiec. Podemos dizer que nossas gestões seguem uma unidade, dessa forma, não tenho dúvidas que ele deixará a Fiec muito mais moderna e  preparada para os desafios do futuro”, disse. 

O ex-presidente da Fiec, Roberto Macêdo, também celebrou o primeiro ano de mandato. “Eu afirmo, sem sombra de dúvidas, que o Ricardo Cavalcante foi o melhor presidente que esta casa já teve. Ele fez mais em um ano do que eu fiz em oito”.

Veja também