logo

Fundadora da Sodiê, Cleusa Silva dá dicas para quem sonha em empreender

Por Jacqueline Nóbrega
Fundadora da Sodiê, Cleusa Silva dá dicas para quem sonha em empreender
Fundadora da maior franquia de bolos artesanais do Brasil, Cleusa Silva diz que empreendedores são eternos aprendizes. (Foto: Divulgação)

Com 316 lojas em território nacional, inclusive no Ceará, e uma unidade em Orlando, nos Estados Unidos, quem vê o sucesso da Sodiê Doces não imagina a história da mulher à frente da maior franquia de bolos artesanais do Brasil. Fundadora da rede, Cleusa Maria da Silva começou a fazer bolos por acaso, quando a patroa teve um problema de saúde e pediu que ela assumisse a produção de bolos.”Fiz o primeiro bolo de 35 quilos e o resultado foi sensacional. Quando ela parou com a venda de bolos, eu continuei o negócio”, lembra.

Aos 53 anos, hoje ela conta uma equipe que a assessora com os negócios, além da ajuda do filho, Diego. O segredo para a empreitada vingar, de acordo com Cleusa, é não pensar apenas no lucro, mas também na satisfação pessoal. Empreender exige dedicação, por isso ela é direta: “Nós empreendedores somos eternos aprendizes“, disse em entrevista ao Site MT.

LEIA MAIS >> Empreendedores devem ter um propósito maior além de vender, considera Luiza Helena Trajano

Ana Couto reflete sobre valor de marca e propósito em tempos de crise

Quem quer começar, reforça Cleusa, deve pesquisar no que pretende investir. “Pode ser tanto um investimento por afinidade com o setor ou por ser um segmento promissor. É fundamental também se identificar com o tipo de serviço que você pretende oferecer. Considero indispensável que o empreendedor coloque a mão na massa no seu negócio, nem que seja necessário no início ter jornada dupla de trabalho”, argumenta.

“É preciso dar um passo de cada vez, prezando sempre pela qualidade do produto final, seja ele qual for”.

O planejamento financeiro também é essencial nas primeiras etapas, acrescenta Cleusa. “Não adianta começar um negócio do zero sem ter capital de giro de no mínimo seis meses e estar sempre aberto a novas situações e movimentações do mercado, frequentar feiras e eventos do segmento é importante”, completa.

Persistência é essencial

Analisando a trajetória de mais de 20 anos no ramo de bolos, ela se orgulha em dizer que trabalhou e persistiu muito. “Tenho muito orgulho de ser mulher. Não desistir na primeira dificuldade me fez chegar até aqui“, conta Cleusa, que foi aprimorando sozinha a receita aprendida com a ex-patroa, levando o bolo para os clientes a pé e contando com a ajuda da mãe até abrir a primeira loja em um espaço de 20m² em Salto, no interior de São Paulo.

A empresária hoje administra 316 lojas em território nacional, além de uma unidade nos Estados Unidos (Foto: Divulgação)

Sobre o setor no qual decidiu atuar, ela é honesta ao dizer que é de alta complexidade. O diferencial, no entanto, ela acredita ter sido elaborar um produto que é unanimidade e agrada a maioria dos consumidores. Mesmo com lojas em 13 estados do País, além do Distrito Federal, Cleusa explica que não cria produtos específicos por região, apesar das diferenças culturais.

VEJA AINDA >> ‘Brasileiro vai consumir mais as marcas locais’, aposta Alice Ferraz sobre momento pós-pandemia

Conheça a história da Briejer, marca cearense de biscoitos e doces finos

A experiência em solo norte-americano, que iniciou em 2019 com a inauguração da primeira operação da Sodiê em Orlando, ela garante que está sendo positiva e que os americanos gostam dos bolos brasileiros e artesanais. “Já vamos inaugurar outra unidade por lá ainda neste ano“, adianta.

Expansão

Em 2017, o filho Diego expandiu o negócio familiar: abriu a Sodiê Salgados, com sede em Boituva. “O espaço tem 1,3 mil m² e produz cerca de 80 mil salgados por dia que podem ser encontrados em todas as lojas da Sodiê Doces”, explica Cleusa.

Diego observava a mãe na produção de bolos desde crianças e hoje trabalha ao lado dela no negócio da família (Foto: Divulgação)

O filho a acompanha nos negócios desde criança, e a escolha por continuar os negócios da mãe não foi à toa. “Quando eu preparava os bolos ele ficava sentado na cadeira observando. O Diego é meu companheiro desde o início. Tenho dois filhos, a Sofia e o Diego, a inicial dos nomes que deu origem à marca Sodiê”, detalha.

Veja também