logo

Nova Beira Mar será entregue em novembro, garante Alexandre Pereira

Por Cintia Martins
Nova Beira Mar será entregue em novembro, garante Alexandre Pereira
Em entrevista exclusiva ao Site MT, Alexandre Pereira destaca as prioridades da Setfor até o fim da atual gestão, como as obras de infraestrutura turística. (Foto: Alex Campêlo)

Como estratégia para retomar a economia pelo turismo interno na Capital, a Secretaria Municipal de Turismo de Fortaleza (Setfor) vai concluir até novembro deste ano as obras de revitalização da nova Beira Mar. Além disso, a pasta também irá entregar até o fim de 2020 as obras de requalificação da nova Av. Desembargador Moreira, da rua dos Tabajaras e do Estoril. As informações foram repassadas com exclusividade ao Site MT pelo secretário municipal de Turismo de Fortaleza, Alexandre Pereira, que assumiu novamente a pasta após ser anunciado como pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza.

LEIA MAIS >> ‘Nosso foco será no turismo interno’, diz secretário Alexandre Pereira sobre retomada pós-pandemia

CEO do Beach Park é eleito o executivo mais poderoso do Brasil na área do turismo  

Conforme Alexandre Pereira, a Capital acabou se tornando um local de visitação do próprio fortalezense, exemplo disto é que, desde o início da retomada das atividades, a Beira Mar está repleta de visitantes – mesmo em obras.

“As pessoas estão ávidas a visitar, curtir e conhecer a cidade, o que gera uma movimentação interna muito legal”, afirma o secretário. Para a conclusão das obras da nova Beira Mar ficará faltando apenas o mobiliário urbano referente às feirinhas, acrescenta. A expectativa, segundo o secretário, é que, com a finalização das obras, a cidade impulsione a economia a partir turismo interno, uma vez que a praia atrai fortalezenses e turistas.  

Em entrevista exclusivo ao Site MT, o titular da Setfor destacou as prioridades da pasta até o fim da atual gestão. (Foto: Alex Campêlo)

“A Beira Mar já é um sucesso! Sempre falo que a Beira Mar é muito democrática e o fortalezense ama a Beira Mar, uma vez que ela é visitada pelas pessoas da periferia que vêm curtir a Beira Mar ou vêm trabalhar na nas feirinhas, nos hotéis. Mas também é frequentada pelas pessoas dos bairros mais nobres como Meireles, que também vão à Beira Mar. Por isso o turista gosta dela, porque é uma praia viva, movimentada. E já é nosso principal cartão postal, [com a conclusão das obras] vai se fortalecer ainda mais”, garante o secretário. 

Prioridades

Conforme o titular da Setfor, a pasta trabalha atualmente em três projetos de infraestrutura turística de requalificação. Na Praia de Iracema está a nova rua dos Tabajaras, importante ponto turístico de Fortaleza e que já ganha contornos de via com amplo espaço para as pessoas caminharem. Segundo Alexandre Pereira, a rua ganhará barzinhos, restaurantes, espaços culturais e galerias. Na mesma rua está localizado o icônico prédio do Estoril, que pertence à Secretária de Turismo. “É um prédio centenário importante para a cidade, estamos reformando e deixando todo restaurado”, acrescenta sobre projetos de infraestrutura em andamento. 

Além disso, a secretaria concluiu recentemente o Polo da Varjota com bares e restaurantes, que fará parte de um circuito turístico que vai incorporar a nova Av. Desembargador Moreira, com previsão de entrega para 2021. O circuito, adianta Alexandre Pereira, vai integrar a Beira Mar, Praça Portugal e Mucuripe, tendo como destino final a estátua de Iracema.  

“A ideia é que, ao sair da Beira Mar, o turista suba até a Av. Desembargador Moreira; de lá ele desce e entra no Polo da Varjota; e do Polo da Varjota, segue para o Mucuripe, ali na estátua de Iracema. Tudo isso está sendo entregue até o final do ano”, garantiu. 

LEIA TAMBÉM  >> Hard Rock traz 5G ao Ceará e aposta em tecnologia de ponta na experiência do hóspede 

Sesc Iparana lança pacotes especiais para outubro e dezembro

As obras de infraestrutura turística, bem como a retomada do projeto Pôr do Sol Fortaleza – que volta este mês à Beira Mar de forma itinerante, com conserto apresentado em cima de um caminhão que fará o percurso ao longo da orla -, estão entre as prioridades da Setfor até o fim da atual gestão, em dezembro. “Nós também vamos concluir toda a estratégia do turismo náutico e vamos concluir o projeto do Turismo Integrado: Fortaleza, Natal e Fortaleza, Recife”. 

Os projetos de Turismo Náutico e Turismo Compartilhado para Fortaleza estão entre as prioridades de Alexandre Pereira. (Foto: Alex Campêlo)

Turismo náutico

Com foco no turismo regional, o secretário vai trabalhar dois projetos até o final do ano: o turismo náutico e Turismo Compartilhado. Na opinião de Alexandre Pereira, Fortaleza tem uma orla fantástica com mais de 30km de praia, da Barra do Ceará até o Caça e Pesca, que é mal explora, uma vez que não existem projetos para potencializar o turismo náutico na Capital. “Precisamos prover a infraestrutura, que é um dos pilares do turismo, com foco no mar. Temos um potencial muito grande de mergulho, mas não é uma atividade que exploramos como atividade turística”, destaca.

O secretário adianta que a Setfor está cadastrada em um plano da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), que depende de um estudo de viabilidade para fomentar o turismo náutico em Fortaleza, através, principalmente, da criação de recifes artificiais. “A ideia é o afundamento de alguns equipamentos e embarcações como tanques de guerra e vagões de trens na orla, para que se tornem santuários marinhos de peixes onde as pessoas possam mergulhar. Nós estamos cadastrados nesse plano e estamos fazendo um estudo de viabilidade para que a gente possa fomentar o turismo náutico. Vai ser outro atrativo para Fortaleza, vai fazer os turistas curtirem melhor o mar, por meio da pesca, dos esportes. Mas para isso precisamos prover a infraestrutura”, explica. 

Turismo Compartilhado

Em paralelo, a secretaria vem trabalhando no projeto de Turismo Compartilhado que visa conectar Fortaleza a outras capitais do Nordeste. “Estamos criando um produto para promover em feiras internacionais já no próximo ano”, adianta Alexandre Pereira. Com duas opções de roteiro, o projeto de Turismo Compartilhado vai integrar Fortaleza à Natal por meio da Rota das Falésias (Litoral Leste); e ligar a capital cearense à São Luiz e Parnaíba, por meio da Rota das Emoções (Litoral Oeste). 

“Além de valorizar a cultura regional, esse tipo de turismo pode também fortalecer os destinos envolvidos. A pessoa chega por uma cidade e vai embora por outra, como é tão comum na Europa. Essa é uma estratégia que nós estamos criando e que vem sendo utilizada pelo próprio Ministério do Turismo”, conta o secretário.

VEJA TAMBÉM >> Quem são os candidatos à Prefeitura de Fortaleza em 2020

MT Cast#23: eleições 2020 e as mudanças na pandemia  

Para custear os projetos, acrescenta ele, que serão concluídos em 2020 mas que serão desenvolvidos ao longo 2021 pela próxima gestão, a Setfor recebeu um financiamento de R$ 15 milhões do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF). Segundo Alexandre Pereira, o CAF atualmente financia todas as obras de infraestrutura do turismo de Fortaleza. “Em cima dessas obras conseguimos um percentual equivalente a R$ 15 milhões, esse dinheiro já está no caixa da Prefeitura para que a gente possa ver, no início da próxima gestão, uma licitação para utilizar esse recursos como forma de promoção do turismo na cidade de Fortaleza”. 

Mesmo em meio aos desafios impostos pela pandemia, a rede hoteleira da Capital atingiu 50% de capacidade em setembro, destaca Alexandre Pereira. (Foto: Alex Campêlo)

Lenta recuperação 

Sete meses após o início da pandemia no Brasil já é possível afirmar, segundo o titular da Setfor, que Fortaleza foi uma das cidades mais afetadas devido ao grande potencial turístico da Capital. Ele explica que a pasta ainda não fez um levantamento de quanto a cidade deixou de arrecadar por causa da pandemia, mas que um estudo está sendo elaborado para apresentação no fim deste ano. Entretanto, ele garante que a rede hoteleira já apresenta sinais de melhora. “Em setembro a rede hoteleira já fechou a ocupação em 50%, esse é um número razoável para este mês”, considera.

“Fomos um dos primeiros estados a sair da quarentena. Estamos há quase 90 dias, desde julho, com números de contaminados caindo, o que nos fez ter uma retomada na frente dos outros”, destaca sobre a recuperação gradual da economia. Segundo o secretário, a retomada da economia passa pelo turismo interno, com foco no interior do estado. “O turismo está voltando para o mercado interno, turismo regional, aquele próximo à cidade de Fortaleza. As pessoas estão viajando muito para o interior, sendo assim ficam em hotéis de serra, de praia, que estão bastante ocupados no fim de semana”, avalia. 

Retomada na Capital

Já Fortaleza, acrescenta, tem recebido turistas do interior do estado, como Cariri e zona norte, bem como turistas de outras cidades, como Recife, Natal e São Luiz.  “São mais próximas, é uma viagem que dá para fazer pela rodoviária. Acredito que até o final do ano é o tempo que deverá sair a vacina, a gente retoma 100% do fluxo turístico da cidade de Fortaleza”, garante. 

Segundo Alexandre Pereira, a retomada do turismo em Fortaleza contará com dois projetos, atualmente paralisados devido à pandemia, da atual gestão: o Passaporte Fortaleza, que é dado ao turista ainda no aeroporto em que ele é apresentado à dez destinos da cidade. “Ele vai carimbando o passaporte e no último lugar que ele visita, o Estoril, recebe um certificado de visitação e uma bolsa de praia com as lembranças da cidade. É uma ação super agradável para o turista, que sai com uma memória afetiva”, conta. E o Fortaleza Bus,  ônibus em modelo dois andares que faz rotinas turísticas por Fortaleza.  

Veja também